Destilação

 em Produção
Destilação é um método de separação de componentes de uma mistura homogênea em que o principal objetivo é utilizar novamente esses componentes. Essa técnica baseia-se na diferença de pontos de ebulição entre as substâncias que compõem a mistura, sendo separadas pelo aquecimento e vaporização das mesmas. Podem ser classificadas em diversos tipos, conforme a mistura que se deseja separar. Dentre eles os principais são:
 

Destilação simples

É o método de separação usado para separar um líquido de um sólido dissolvido nele. A separação ocorre com a vaporização do líquido, que acontece durante o processo de aquecimento. Pode-se exemplificar esse processo com a separação de uma mistura de água e sal comum. É, também, normalmente utilizada nas indústrias sucroalcooleiras, na produção de combustíveis e destilados como cachaça, vinhos e outras bebidas.
 

Destilação fracionada

Este é um método de separação utilizado para segregar um líquido que está dissolvido em outro líquido. A separação é possível porque os líquidos apresentam pontos de ebulição diferentes, ou seja, evaporam em temperaturas diferentes. O exemplo de aplicação industrial mais conhecido da destilação fracionada é o processo de separar os produtos provenientes do craqueamento do petróleo, que dá origem a diversos compostos que podem ser comercializados.

 

Destilação por arraste de vapor

É o método de separação que utiliza o vapor de água para retirar substâncias voláteis de um material sólido. É normalmente utilizado para se obter os óleos essenciais, que são líquidos obtidos a partir de plantas e que podem ser utilizados em diversos ramos, como na medicina, na fabricação de perfumes ou de produtos utilizados para limpeza.
 

Destilação a Vácuo (pressão reduzida)

A destilação a vácuo é um processo pelo qual os compostos voláteis são separados a partir de uma mistura líquida. Ao colocar uma mistura em um tanque de destilação e reduzir a pressão, os compostos voláteis são induzidos a evaporar a partir da própria mistura. O vapor é então capturado e condensado novamente em um líquido. Esse tipo de destilação pode ser realizada em pequena escala, em laboratórios de análise, ou em escala industrial, como é feito em refinarias de petróleo e outras indústrias onde esse processo seja necessário.
 

Os compostos que possuem um alto ponto de ebulição, ou cujos vapores são mais pesados do que o ar a uma pressão atmosférica padrão, são particularmente adequados para essa separação, principalmente quando dissolvidos em água ou em uma mistura que contenha água. A técnica permite também que os compostos possam ser destilados a temperaturas mais baixas do que seria possível de outra forma. Isso é muito útil para os compostos que são alterados ou decompostos por aquecimento.

Para a execução dessa técnica utilizamos uma aparelhagem semelhante à da destilação fracionada, com uma pequena diferença de que se adapta uma bomba de vácuo que reduzirá a pressão do meio. A nova temperatura pode ser estimada com o auxílio de um nomograma, tabela que relaciona colunas de temperatura com pressão.
 
Dentre todos esses processos de destilação citados acima, as aplicações que mais se destacam no Brasil são:
 
Usinas sucroalcooleiras
Como citado acima, no processo de destilação simples, as usinas sucroalcooleiras com destilarias anexas estão muito presentes no nosso país, sendo o Brasil o segundo maior produtor de etanol do mundo. Aqui, a destilaria entra com a função de transformar o composto fermentado, chamado nessa etapa de vinho, à etanol hidratado/anidro e vinhaça (resíduo da destilação).
 
Refinarias de petróleo
Outro setor comum aqui no nosso país são as refinarias de petróleo, onde ocorre a destilação fracionada, mais conhecida por destilação atmosférica. Ela possui a finalidade de transformar o petróleo em misturas mais simples, chamadas de frações.
 
O petróleo é submetido a um aquecimento para ser vaporizado, o vapor formado alimenta a coluna de destilação, sendo condensado a cada passagem pelos pratos.
Em cada prato obtém-se uma fração de condensado, e o restante do vapor vai percorrendo a coluna até a passagem por todos os pratos e, então, a saída. Esse gás de saída é a fração mais volátil do petróleo, conhecido por gás GLP (gás de cozinha).
 
O resíduo da destilação geralmente é enviado a outra coluna de destilação que opera a vácuo, e os produtos finais dessa podem ser lubrificantes e gasóleos. Ou, então, destinados para um produto final como asfalto.
 
A fração resultante retirada da coluna depende do produto final desejado e suas propriedades, pois cada produto possui uma volatilidade e uma faixa de quantidade de átomos de carbono diferentes.
 
Gostou desse método de produção industrial e ficou interessado em colocá-lo em prática? Fale conosco!
Postagens Recentes

Deixe um Comentário