Neutralização de carbono: como funciona e como ela pode auxiliar sua empresa.

 em Ambiental, Produção, Química

O efeito estufa é um fenômeno natural, essencial para aquecer a Terra e garantir a existência de vida. Entretanto, vem sendo potencializado pela atividade humana. Isso se deve muito devido a forma como vivemos, que causa diversos tipos de impactos no meio ambiente. Neste blog, discorreremos sobre uma das maiores potencializadoras desse efeito: a indústria e como ela pode amenizar esse processo.

O CO2 é o grande vilão do efeito estufa. Segundo análise da agência meteorológica do Reino Unido (Met Office), em 2017, a concentração média mundial de CO2 alcançou o recorde de 410 partes por milhão (ppm).

A queima de combustíveis fósseis, queimadas, desmatamentos, processos industriais, agricultura e pecuária são algumas das principais atividades potencializadoras do efeito estufa (GEE), principal causador do aquecimento global

Os impactos deste inconveniente são devastadores: aumento no volume dos oceanos e das temperaturas, extinção de biomas, alteração da química do planeta, extinção e migração das espécies, entre outras consequências.

Diante disso, torna-se cada vez mais importante definir ações e iniciativas para minimizar os impactos negativos de tais alterações.

 

Como saber se minha empresa  tem emissão de carbono? 

Os gases estufa, incluindo o gás carbônico, são emitidos na atmosfera durante o ciclo de vida de um produto, de processos, serviços e atividades. 

O primeiro passo é mapear as emissões de gases de efeito estufa (GEE) diretas e indiretas. 

Essa mensuração pode ser feita através de um inventário de emissões gasosas. Com este relatório é possível identificar as áreas da empresa que emitem mais carbono para focar em medidas de mitigação. 

A partir disso, é iniciada a adoção de medidas que minimizem tanto quanto for possível a emissão de CO2, mecanismos de compensação das emissões além da neutralização de carbono

Mas como funcionam essas compensações? 

Elas podem variar desde ações como a economia de energia e reutilização da água até outras atividades mais complexas, especialmente no caso das indústrias.

A compensação pode ser feita por crédito de carbono e se dá através da recuperação e preservação de florestas e mares, que tem uma função essencial no sequestro de CO2 da atmosfera. 

Organizações que trabalham na recuperação e preservação de florestas e mares podem gerar um crédito por cada CO2 sequestrado e vender a outras organizações que não conseguem evitar as emissões, de forma a atingir a neutralidade. Dessa maneira, as empresas devedoras podem comprar créditos de carbono para que as credoras continuem investindo na limpeza da atmosfera. 

O resultado é um aumento de preservação e recuperação da natureza, reversão da poluição do ar, além da redução dos impactos no clima.

Atualmente, a busca pelas empresas de medidas voluntárias para compensar suas emissões para descarbonização e se tornar “carbono zero tem crescido significativamente ao redor do mundo e no mercado de ações. Empresas com preocupação ambiental ganham credibilidade no mercado e conseguem atrair mais clientes e parceiros, pois terão uma imagem positiva para seu público. 

Agora que você já sabe como pode minimizar os impactos causados pela sua empresa, que tal investir em métodos de produção mais sustentáveis? A CATALISA trabalha com elaboração de inventário de emissão gasosa e acredita em uma indústria mais consciente. Caso você tenha interesse, entre em contato!

 

Postagens Recentes

Deixe um Comentário