Saiba por que um mapeamento de processos pode potencializar sua empresa

O material demora a chegar, seu produto leva dias até ficar pronto e você sente que a sua empresa está perdendo dinheiro, mas não sabe onde se encontra esse furo? Talvez a resposta para seus problemas esteja em um mapeamento de processos.


O mapeamento de processos é uma metodologia que as empresas utilizam para entender o funcionamento das atividades que transformam um artigo de entrada em uma saída com valor para o cliente.


O objetivo do mapeamento é compreender como se realiza as atividades operacionais na empresa de modo a identificar a melhor forma possível de realizá-las. Através dele, pode-se diagnosticar gargalos - problemas operacionais que comprometem o funcionamento da empresa.


Dessa forma, o mapeamento é uma ferramenta que pode auxiliar a sua empresa a chegar em uma produtividade nunca imaginada, podendo fazer mais do que atualmente, com um baixo investimento.


Se tivéssemos que elaborar um roteiro para mapear processos ele consistiria em:


- Definir quais processos serão analisados;

- Monitorar cada processo tomando nota de como eles acontecem;

- Dispor de forma visual os resultados do mapeamento (fluxogramas).


Para entender como isso funciona na prática propomos um exercício de imaginação: agora você passa a ser o gerente de uma indústria que produz tubos de aço-carbono sem costura por laminação. Seu diretor lhe pede que construa um mapeamento do processo produtivo da unidade. O primeiro processo é a compra do material, você deve comprar um lingote de aço cilíndrico que será transportado até a sua empresa.


Você verifica que ao chegar na fábrica este lingote será aquecido até uma temperatura de 1200 ºC. Ele passará por um primeiro laminador que com ajuda de uma ponteira abrirá um furo interno no tubo. Outro laminador irá reduzir o diâmetro externo. O tubo será alisado até que se chegue nas dimensões desejadas. Uma máquina corta o tubo ainda quente no comprimento de interesse. E, por fim, você observa que o tubo fica esfriando em um determinado local até que seja levado ao seu cliente.


A partir de agora você detém informação suficiente sobre a fabricação do tubo. Porém, não é nada interessante deixar essa informação em forma de texto. Precisa-se de algo mais visual como um fluxograma de processos.


Este fluxograma pode ser de 3 tipos: fluxograma de diagrama em bloco, fluxograma de processos simples, e fluxograma funcional. O primeiro utiliza apenas retângulos e setas para mapear processos, já os demais possuem outras formas geométricas além de destrinchar melhor o objetivo de cada setor do seu negócio. Os 3 seguem a notação BPMN, que é a notação de mapeamento de processos de negócios.


No exemplo abordado, iremos fazer um fluxograma de diagrama em bloco. Para isso você utilizará um software de BPMN. O seu resultado será algo como o apresentado abaixo:


É possível detalhar muito mais esse fluxograma, especificando cada um dos processos, abordando os mandris que fazem o alisamento do tubo e as especificações da compra do material, entretanto vamos nos poupar desses detalhes, afinal o gerente dessa indústria é você!


Com base nesse fluxograma e em fatores como tempo e custo de cada etapa você agora é capaz de diagnosticar problemas na produção e propor soluções para a otimização e gerência desses processos.


Se interessou por esse assunto? Mesmo que sua empresa não produza tubos de aço por laminação, converse conosco!

A CATALISA é a Empresa Júnior do curso de Engenharia Química da UFRGS. Formada por graduandos dos cursos de Engenharia, conta com o apoio de um renomado corpo docente. Seus consultores oferecem os melhores serviços personalizados, promovendo soluções de qualidade para o seu negócio.

CONTATO
(51) 3308-4076
ATENDIMENTO

Avenida Paulo Gama, 110 

Porto Alegre - RS

De segunda à sexta 
08:00 - 12:00
13:30 - 17:30
  • LinkedIn Catalisa