Gerenciamento de Emissões Atmosféricas: por que tão importante?

 em Ambiental, Produção

Você provavelmente já ouviu falar sobre gerenciamento e controle de emissões atmosféricas, mas você sabe para que ele serve e qual a sua importância para os mais diversos setores da indústria? Descubra agora! 

Como é feito o Controle de Emissões Atmosféricas? 

O principal documento que faz o controle de emissões atmosféricas atualmente é o inventário de emissões gasosas. Um inventário de emissões gasosas é um documento ambiental, que tem por finalidade controlar o status da qualidade do ar de uma área geográfica específica observando os limites de emissões de poluentes atmosféricos. Para isso, é feita a definição qualitativa e quantitativa das atividades poluidoras, fornecendo informações sobre as características das fontes, localização, magnitude, frequência, duração e contribuição relativa das emissões. 

Os principais indicadores da qualidade do ar presentes nos inventários de emissões atmosféricas são poluentes como o material particulado, o monóxido e dióxido de carbono (CO e CO2), os óxidos de nitrogênio e enxofre (NOx e SOx), entre outros. O inventário pode também conter uma estimativa das fontes não-pontuais, com menor potencial de impacto, que envolvem, por exemplo, emissões fugitivas de estações de tratamento e equipamentos de processo, carregamento de caminhões, vazamentos de tubulação etc. A necessidade ou não de monitoramento nestes casos deve ser registrada e justificada. 

O documento é um dos requisitos legais federais exigidos pelas resoluções do CONAMA, tanto a n° 382 de 26 de dezembro de 2006, quanto a n° 436 de 22 de dezembro de 2011, e pode conter normas específicas para cada estado ou município. O inventário de emissões é uma das formas de garantir a proteção da saúde e o bem estar da população da região, já que ao indicar os principais contribuintes para degradação da qualidade do ar é possível estabelecer sólidas políticas públicas e avaliar a efetividade dos programas de controle já existentes, servindo de base para a implementação de mudanças necessárias. 

Quem necessita de Controle de Emissões Gasosas? 

Todo empreendimento industrial, para adquirir um licenciamento ambiental, deve elaborar um inventário de fontes estacionárias, que considera o potencial de geração de poluentes para cada um dos meios físicos (ar, água e solo). Em um inventário de fontes estacionárias gasosas, identifica-se as fontes com potencial para produzir alterações significativas na qualidade do ar, permitindo a instalação antecipada de sistemas de controle de poluição ou de melhoria na dispersão atmosférica. 

No geral, empresas que utilizem qualquer tipo de solventes orgânicos no processo ou que possuem em suas instalações fontes com combustão precisam gerenciar suas emissões gasosas. Alguns exemplos de empreendimentos industriais que necessitam de um inventário de emissões atmosféricas, são os seguintes: 

  • Indústria de Produtos Minerais Não-Metálicos (cimento, vidro, cerâmica e similares); 
  • Indústria Minero-Siderúrgica;
  • Indústrias de Produtos Químicos;
  • Indústrias de papel e celulose; 
  • Usinas de açúcar e álcool;
  • Indústrias automobilísticas (montadoras ou similares); 

Segundo dados da Agência Internacional de Energia (IEA), as produções de cimento, alumínio, cal, celulose, química e vidro, correspondem a 90% das emissões de gases de efeito estufa no Brasil. A indústria de cimento, por sua vez, é responsável por cerca de 7% de todo o gás carbônico emitido pelo homem no planeta, de acordo com a Associação Brasileira de Cimentos Portland (ABCP). Na produção do cimento, a matéria-prima passa por muitas etapas de moagem e necessita de processos em altas temperaturas e, por isso, sua demanda energética e produção de material particulado e gases poluentes são muito altas.  

Electric Towers during Golden Hour

Por que ele é importante para a minha empresa? 

O controle das emissões de gases de efeito estufa na indústria tem como objetivo principal medir a pegada de carbono que os produtos, processos ou serviços estão gerando na atmosfera. Quantificar o impacto que um empreendimento tem no meio ambiente, através dos inventários de emissões, não serve apenas para controlar as mudanças climáticas globais, mas sim criar uma cultura de responsabilidade social e coorporativa através da gestão ambiental, assim, contribuindo para os Objetivos Sustentáveis da ONU

Hoje são inúmeras as alternativas para diminuir o impacto ambiental gerado pelas as indústrias. A gama de segmentos da indústria que utilizam dióxido de carbono (CO2) como subproduto dos seus processos é enorme e na área de emissões atmosféricas, o reaproveitamento de CO2 de combustão, por exemplo, mostra o quanto é possível tirar proveito sustentável e econômico do resíduo gasoso

Experiência da CATALISA: Case de sucesso

White and Gray Airplane

Em projeto feito com um aeroporto da região de grande Porto Alegre, a Catalisa analisou as emissões atmosféricas do empreendimento, a fim de elaborar um relatório ambiental para o órgão específico da região. Com o auxílio de um software, realizou-se o mapeamento e modelagem das emissões de aeronaves, helicópteros e, até mesmo, dos carros na região próxima ao aeroporto. A partir disto, foi possível levantar diversas sugestões para reduzir essas emissões que, após sua implantação, geraram uma redução de 10% em emissões de monóxido de carbono12% em compostos orgânicos voláteis e 22% em óxidos nitrosos. Este projeto é um case de sucesso da Catalisa, realizado 5 vezes em conjunto com o mesmo cliente, que além possibilitar capacitação para os membros, gerou um impacto ambiental positivo significativo na região. 

Gostaria de avaliar como uma análise de emissões pode impactar sua empresa? Entre em contato conosco! A Catalisa, por via de sua experiência e parcerias com responsáveis técnicos especializados no assunto, pode facilitar muito esse processo para você! 

Postagens Recentes

Deixe um Comentário